sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Arruda e Sobral estão em zona "cinzenta" e habitantes vão ter que pagar mais para continuar a ver TV


Os concelhos de Arruda e Sobral não estão devidamente abrangidos pelo sinal terrestre do novo sistema de televisão TDT, o que poderá obrigar os respectivos habitantes, para além da necessidade de comprarem descodificadores para continuarem a ver os quatro canais abertos, a terem também que comprar e pagar a instalação de uma antena parabólica. Significa isto que os gastos poderão atingir, no mínimo, os 116 euros. Os autarcas locais não se conformam e vão exigir, na próxima semana, o adiamento do corte das emissões no antigo sistema analógico previsto para 12 de Janeiro e medidas que garantam a cobertura destes concelhos com sinal terrestre de TDT.
Os autarcas locais vão apresentar a exigência à Anacom e à PT, porque perceberam, nas últimas semanas, que os seus territórios vão ficar numa chamada zona “cinzenta” sem cobertura que permita ver os quatro canais abertos de televisão em boas condições apenas com o auxílio de um descodificador. Segundo a Anacom, o contrato de concessão da rede de TDT à Portugal Telecom (PT) já previa uma cobertura só de cerca de 85% do território nacional e os equipamentos instalados pela PT até deverão permitir ultrapassar ligeiramente essa percentagem. Mas Arruda e Sobral poderão ser dois dos municípios já afectados a partir de 12 de Janeiro com o corte do antigo sinal analógico em toda a faixa litoral do país, sem que o simples descodificador garanta às respectivas populações uma boa captação destes canais. Nesse caso, explica uma porta-voz da Anacom, as pessoas poderão ter que adquirir também uma antena parabólica e pagar a respectiva instalação para terem acesso à TDT por satélite. Mas, garante, foi assumido pela PT que o fornecimento do kit para a TDT por satélite não ultrapassará os 55 euros (33 para famílias comprovadamente carenciadas), acrescidos de um valor máximo de 61 euros para a antena, para os cabos e para o trabalho de instalação, o que totalizará 116 euros.

Saiba mais na edição de 4 de Janeiro do Voz Ribatejana 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Utentes de saúde protestam hoje na Lezíria


As comissões de utentes dos serviços públicos de saúde de seis concelhos da Lezíria do Tejo decidiram organizar acções de protesto em simultâneo entre as 19h00 e as 20h00 desta quinta-feira, reclamando medidas de reforço das unidades de saúde da região onde já são mais de 30 mil os inscritos sem médico de família. Os promotores estão também preocupados com a falta de informação sobre a renovação de contratos de prestação de serviços médicos já a partir de 1 de Janeiro de 2012, temendo pelo fecho parcial do Serviço de Atendimento Permanente de Benavente e de mais algumas extensões de saúde.
O novo presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) já disse, no entanto, ao Voz Ribatejana, que não haverá qualquer alteração do funcionamento deste SAP – serve os 50 mil habitantes dos municípios de Benavente e Salvaterra – enquanto não estiver concluído um estudo global de reestruturação dos serviços de urgência e emergência e enquanto o Ministério da Saúde não delinear e aprovar as medidas daí resultantes. Cunha Ribeiro prevê que este estudo possa estar pronto até Fevereiro e garante que, até lá, não haverá mexidas nos recursos humanos dos SAP e serão prorrogados os contratos de prestação de serviços médicos.
Mas os representantes das comissões de utentes da Lezíria que reuniram, no dia 16, com o vice-presidente da ARSLVT, mostram-se também preocupados com o futuro próximo das unidades (extensões) de saúde actualmente muito dependentes de contratos com empresas que fornecem horas de serviços médicos. Para hoje agendaram concentrações em Alpiarça, Chamusca e Benavente.

Saiba mais na edição de 4 de Janeiro do Voz Ribatejana 

VOZ RIBATEJANA EDIÇÃO COMPLETA DEZ 2011

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Alverca recebe prova de atletas bombeiros em 2012


Em 1983, Alverca recebeu uma das maiores corridas de atletas bombeiros alguma vez organizada em Portugal. Vinte e oito anos depois, José Neto, organizador e vencedor daquela prova, resolveu abalançar-se à organização de uma nova competição, desta vez aberta a bombeiros de todo o País e a outros atletas da região. Está tudo planeado para o próximo ano mas, com o objectivo de angariar fundos para a prova, José Neto escreveu e publicou um livro dedicado à prática desportiva e aos bombeiros. Chama-se “Lição de Vida” e foi apresentado, nas primeiras semanas de Dezembro, na Calhandriz e em Alverca.
Com mais de 30 anos de ligação ao atletismo e ainda dedicado às ultra-maratonas, José Neto explicou, ao Voz Ribatejana, que, há algumas décadas atrás, era muito comum os bombeiros voluntários dedicarem-se, em simultâneo, à prática desportiva. “Hoje não existem quase nenhuns e os atletas bombeiros quase desapareceram”, constata, frisando que um dos objectivos da corrida programada para 2012 em Alverca é também incentivar o envolvimento de mais bombeiros na prática desportiva e nos conceitos físicos e mentais necessários para o atletismo.
José Neto ainda não sabe se a priva se realizará em Maio ou em Novembro, mas adiantou, ao Voz Ribatejana, que tudo indica que se fará no período de Abril/Maio ou de Outubro/Novembro. Certo é que o grande objectivo do lançamento deste livro é apoiar a reedição da prova de 1983. "A angariação de fundos é única e exclusivamente para a tal prova e o livro não tem qualquer fim lucrativo”, acrescentou José Neto, esclarecendo que os próximos meses vão ser, também, dedicados à organização da corrida e à busca de mais alguns apoios.

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana 

Atleta do Arrudense é campeã nacional de maratona


É natural de Lisboa e reside no concelho do Seixal, já depois de ter vivido alguns anos na Alemanha, mas corre pelo Clube Recreativo e Desportivo Arrudense (CRDA) desde 2009 e alcançou, este ano, os títulos de campeã nacional de maratona e de 10 mil metros em pista. Anabela Tavares, com 33 anos e dois filhos adolescentes, ganhou também a recente Maratona de Lisboa e ainda se mostra algo surpreendida com os excelentes resultados obtidos.
A vida não tem sido fácil para esta mulher, natural de Lisboa, que praticou atletismo entre os 12 e os 17 anos e que suspendeu essa actividade quando emigrou para a Alemanha, para se juntar à sua mãe e trabalhar naquele país do Norte da Europa. Deixou de correr regularmente durante quase 13 anos e, há 3, quando voltou para Portugal, resolveu voltar a treinar, incentivada também por David Fernandes, outro atleta do Arrudense, que a tem orientado nos treinos. Começou por representar um clube da Quinta do Conde e, nas últimas duas épocas, por influência também de David Fernandes, resolveu juntar-se ao Arrudense.
“O Arrudense funciona como uma família, tentamos ajudar-nos uns aos outros no que podemos, na pista também. A camada mais jovem faz muita pista e ajudamo-nos muito, também nos treinos”, explica a atleta, que vai conseguindo gerir o seu tempo com muita força de vontade, acumulando as horas de trabalho, os treinos e o acompanhamento dos filhos. “Nunca imaginei entrar assim num campeonato nacional de maratona e ganhar. Tinha sido campeã nacional de 10 mil metros em pista, mas fiquei muito surpreendida”, admite, frisando que fazer 42 quilómetros “exige muito pensamento positivo".

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana  

sábado, 24 de dezembro de 2011

Alenquer regista marca de "Vila-Presépio"


A Câmara de Alenquer está a desenvolver os passos necessários para registar a marca “Alenquer-Vila Presépio de Portugal”, com o objectivo de valorizar a imagem associada a esta temática e de atrair mais visitantes. O presidente da autarquia, Jorge Riso, disse, em recente reunião camarária, que “é processo complicado” em que foi exigido o preenchimento de um formulário com mais de 100 páginas, mas que a edilidade espera concluir o processo, que carece também da apresentação de um símbolo próprio.
A questão foi colocada pelo social-democrata Nuno Coelho, eleito da Coligação Pela Nossa Terra, que lembrou que há vários municípios inscritos no chamado Roteiro dos Presépios de Portugal e quis saber se Alenquer também vai participar. “Para mim a ‘vila-presépio’ é a principal marca de Alenquer”, vincou. Jorge Riso disse que desconhecia esse roteiro, mas lembrou que está a ser feito o registo da marca. “Acho que, para além do registo da marca, devíamos bater o pé no sentido de nos afirmarmos mais”, defendeu Nuno Coelho.
Jorge Riso prometeu indagar o que se passa com este Roteiro dos Presépios “porque pode ter interesse”. Sobre a possibilidade do Presépio Monumental de Alenquer vir a candidatar-se ao Guiness Book dos Recordes, o presidente da edilidade observou que já se concluiu que não é o de maior dimensão. “Penso que não há possibilidade, não é o maior do Mundo, mas é uma proposta que fica”, concluiu.      

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana 

Grupo cénico de Arruda apresentou grande representação do Natal


Depois de uma primeira experiência mais simples em 2010, o Grupo Cénico do Clube Recreativo e Desportivo Arrudense (CRDA) abalançou-se, este ano, a uma grande representação da tradição do Natal, que envolveu mais de 60 pessoas, incluindo 25 actores e figurantes e um cenário original que aproveitou toda a estrutura e a zona envolvente do chafariz setecentista. Uma iniciativa que marcou a quadra de Natal em Arruda e prendeu a atenção dos muitos assistentes que ali se aglomeraram, durante as duas representações realizadas na tarde do passado domingo.
Com cenários, música e um guarda-roupa bem elaborados, a representação envolveu também vários animais e incluiu vários quadros, desde a anunciação à adoração dos reis magos. Fernanda Bexiga, uma das responsáveis do Grupo Cénico do CRDA, explicou, ao Voz Ribatejana, que, em 2010, surgiu a ideia de fazer um presépio ao vivo. “Este ano quisemos fazer outra vez e tentarmos ser melhores, com melhores cenários e que agradasse a todos os arrudenses”, vincou, destacando o papel de Ágata Silva, encenadora e ensaiadora, e todo o apoio dado por muitos arrudenses e pelo comércio local.

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do voz Ribatejana

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Alverca pode ficar sem campo pelado e sem centro de estágio


O projecto do Centro de Formação e Estágios (CFE) do Futebol Clube de Alverca, lançado já há quase 10 anos, tem passado por variadíssimas vicissitudes. Agora, quando tudo parecia apontar para um desenvolvimento da obra, surge um novo, e grande, contratempo que, na pior das hipóteses, até pode levar a que o clube fique sem o espaço do seu antigo campo pelado e sem o CFE construído. Tudo porque a empresa que estava a fazer a obra, a Construsan, entrou recentemente num processo de insolvência, que ninguém sabe como é que vai acabar. Por tudo isso, a direcção do FCA promoveu uma sessão de esclarecimento aos sócios, onde ressaltou a surpresa de muitos dos associados pelos termos dos contratos assinados por anteriores dirigentes e a perspectiva de que só depois da primeira assembleia de credores da Construsan (prevista para Janeiro) se poderá ter mais dados sobre a situação.
Certo é que Fernando Orge, presidente do clube, começou por explicar que os últimos desenvolvimentos deixaram a nova direcção muito preocupada, até porque tinha o objectivo de concluir a primeira fase do CFE no início de 2012. Primeiro percebeu que uma garantia bancária de mais de 2 milhões de euros feita em 2007 não foi renovada como devia em 2009 e extinguiu-se. Depois, apurou que a escritura assinada em Abril de 2007 transfere o espaço do antigo pelado para a Turiprojecto, sem fazer depender essa situação da conclusão das obras do centro de formação.
 “Temos que esperar que, no âmbito do processo de insolvência, a Construsan entre em dissolução completa ou em recuperação financeira. Se entrar em recuperação, vamos ter que saber se esta obra é prioritária. Se for a insolvência total temos que partir para cima da Turiprojecto”, sustentou Fernando Orge, perante uma sala quase cheia com cerca de 60 associados.       
 “A realidade, nesta altura, é que, se não houver cumprimento por parte da Turiprojecto e da Construsan, o Alverca tem zero do terreno do pelado e praticamente zero da obra do centro de formação e zero do dinheiro da garantia bancária”, admitiu o presidente, sublinhando que pode acontecer que o BES venha a tomar posse, no futuro, do espaço do pelado, sem nenhuma obrigação de construir o centro de formação.


Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Vilafranquense empatou com o União de Tires

Induzidos em erro pelas tabelas de resultados e pela classificação publicada na edição de segunda-feira do diário Record, escrevemos que a União Desportiva Vilafranquense (UDV) batera, no domingo, no Cevadeiro, o União de Tires, por 1-0. De facto o jogo terminou com um empate a 1 bola, o que altera também de forma significativa a situação das equipas da região na tabela classificativa.
Assim, a UDV está na 12ª. posição com 20 pontos, fruto de 5 vitórias, 5 empates e 5 derrotas nos 15 jogos já disputados. Logo acima está o Alverca com 21 e o Vialonga soma 22 pontos neste renhido campeonato da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Lisboa. A próxima jornada está agendada para 8 de Janeiro e integra o dérbi concelhio entre Vilafranquense e Alverca.

Pelo erro no resultado publicado pedimos as nossas desculpas aos leitores e amigos, com votos de Feliz Natal para todos e de um 2012 com muita saúde e bom desporto.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Vilafranquense volta às vitórias e bate União de Tires


Depois de várias jornadas com uma prestação bastante irregular, a equipa principal da União Desportiva Vilafranquense voltou, no domingo, às vitórias, batendo o União de Tires, no Cevadeiro, por 1-0. Um bom resultado perante uma equipa do concelho de Cascais que tem andado nos primeiros lugares. Pior estiveram, desta vez, Alverca e Vialonga. A jovem equipa alverquense não resistiu ao “poderio” do Atlético da Malveira e perdeu por 4-1. Já o Vialonga protagonizou um jogo renhido frente ao líder Lourel, cedendo um empate caseiro a 2 bolas.
Na classificação da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Lisboa, Vialonga e Vilafranquense seguem na oitava posição com 22 pontos, fruto de 6 vitórias, 4 empates e 5 derrotas. O Alverca vem logo a seguir, com 21 pontos, numa tabela onde se destacam Lourel com 29 e Malveira com 28. O campeonato tem agora uma interrupção de duas semanas e regressa no dia 8 com um dérbi concelhio entre Vilafranquense e Alverca. O Vialonga também joga um “dérbi”, neste caso regional, com a visita ao vizinho Loures.
Muito bem segue o União Povoense na I Divisão da AFL, em luta pela subida com o Montelavarenses. Os homens da Póvoa ganharam, no domingo, no terreno do Sobreirense e somam 28 pontos, tantos quantos os Montelavar. Na frente, destacado, segue o Santa Iria com 36. O Juventude da Castanheira continua a ter uma prestação sofrível e empatou, agora, em casa, com o Venda do Pinheiro (1-1), procurando fugir aos lugares de despromoção. O União de Vila Novga da Rainha também empatou e segue, tranquilo, com 21 pontos.
Já na Divisão Principal de Santarém, grande destaque para o Benavente que ganhou, no Entroncamento, por expressivos 3-0 e segue na quinta posição com 23 pontos. Já a Arepa do Porto Alto, depois da boa exibição e da vitória frente ao União de Tomar, perdeu, agora, em Ourém, por 3-0, mantendo-se na cauda da tabela. Na Divisão Secundária de Santarém, o Samora voltou às vitórias, batendo o vizinho Barrosense por 3-0, resultado que lhe permitiu subir ao meio da tabela, com 11 pontos.

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

Edição COMPLETA do Voz Ribatejana 6 Dezembro 2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Vestiu-se de pescador para assaltar banco de Samora e foi detido pela GNR


Um homem de 37 anos, vestido de pescador e com um saco em que transportava canas de pesca e escondeu uma caçadeira, assaltou, esta manhã, o balcão de Samora Correia do Millenium BCP. Disfarçado também com óculos escuros e com um gorro na cabeça, ameaçou os funcionários com um disparo para o tecto  e obrigou-os a entregarem todo o dinheiro que estava em caixa e num mini-cofre da agência que funciona na Avenida "O Século", a rua principal de Samora Correia.
O plano começou a correr mal quando o indivíduo saiu para a rua e um cliente gritou, alertando para o assalto e chamando a atenção de uma patrulha da GNR que passava no local. O assaltante ainda tentou fugir, foi perseguido e alcançado pelos militares e, nessa altura, terá tentado disparar sobre eles, o que não conseguiu ao que tudo indica porque a arma encravou.
Foi, então, dominado e detido e os militares do posto de Samora Correia apreenderam-lhe uma caçadeira de 12 mm com capacidade para 5 disparos, um silenciador, munições e um saco contendo uma “quantia avultada em dinheiro”, cujo montante não foi divulgado. A Guarda identificou também a viatura em que se fazia transportar, que estava parada a cerca de 200 metros e tinha matrículas falsas. O homem tem residência no concelho de Salvaterra de Magos.




Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana 

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Pressão de moradores e autarcas anula corte de estrada que quase isolaria a Calhandriz



A Estradas de Portugal (EP), perante a pressão de moradores e de autarcas, decidiu reduzir o âmbito da intervenção na ponte do Carvalho (também conhecida por ponte da Velosa) integrada na empreitada de substituição e alargamento de pontões da Estrada Nacional 10-6 (EN 10-6). A empresa empreiteira chegou a planear a demolição da antiga ponte no passado dia 6, mas moradores da freguesia da Calhandriz, que ficaria quase isolada, protestaram no local, exigindo alternativas.
A EP explicou, então, que substituir a ponte mantendo o tráfego de ligeiros implicaria um acréscimo de custos da ordem dos 80 a 100 mil euros, que não podia suportar. Depois de alguns dias de negociações, a presidente da Câmara de Vila Franca de Xira anunciou que se chegou a um entendimento, através do qual a obra de alargamento e substituição integral do tabuleiro será anulada, realizando-se apenas trabalhos de reparação e reforço da ponte e dos seus alicerces, que não obrigam ao corte do trânsito, permitindo a sua circulação alternada. 
A empreitada de reabilitação dos pontões da EN 10-6, orçada em 1, 2 milhões de euros, arrancou no Verão e já implicou a demolição e substituição do pontão das Silveiras. Aí, embora o tráfego tenha sido cortado durante mais de 2 meses, a população da Calhandriz ainda conseguia chegar rapidamente à Nacional 10 desviando pelo Sobralinho. Se viesse a ser cortada a ponte do Carvalho é que as alternativas para o mesmo percurso obrigariam a fazer mais 14 quilómetros.


Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

Obras de 93 mil euros não sossegam pais da EB 2.3 de Vialonga




O anúncio de que a Direcção Regional de Educação de Lisboa vai disponbilizar 93 mil euros para obras nos telhados dos blocos da Escola Básica dos 2º. e 3º. Ciclos (EB 2.3) de Vialonga não tranquiliza os pais e encarregados de educação que, ontem à noite, decidiram enviar uma carta aberta ao ministro Nuno Crato e agendar novos protestos para Janeiro. Reunidos em assembleia-geral, os membros da Associação de Pais criticaram a decisão “cega” do Governo de suspender o projecto de reabilitação e ampliação da escola que a Parque Escolar estava a desenvolver e consideram que esta obra está muito longe da intervenção de fundo de que a escola carece.
“Esta verba não resolve o problema de fundo da escola, ou seja a superlotação a que neste momento se encontra sujeita”, diz José Luís Vieira, presidente da Associação de Pais da EB 2.3 de Vialonga, vincando que a escola foi inaugurada há 24 anos para 600 a 700 alunos e hoje tem 1200 estudantes, distribuídos pelos mesmos espaços, alguns dos quais sujeitos a inundações em períodos de maior pluviosidade.
A assembleia decidiu agendar para Janeiro um protesto com “maior visibilidade” e enviar uma carta ao ministro Nuno Crato onde pais e encarregados de educação sublinham que os seus educandos “continuam a ter aulas em péssimas condições”.

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana 

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Alverca bate Tojal, Vialonga e Vilafranquense voltam a perder


A jornada do passado domingo não foi feliz para a maioria das cinco equipas do concelho de Vila Franca de Xira que disputam os campeonatos da Associação de Futebol de Lisboa. Na Divisão de Honra destacou-se apenas o Alverca que pôs fim a uma certa malapata nos jogos caseiros e bateu o Tojal por expressivos 3-0. Ao intervalo, a equipa alverquense já ganhava por 1-0 e, na segunda parte, soube aproveitar o maior atrevimento do Tojal em busca do empate para marcar mais dois golos.
Pior estiveram Vialonga e Vilafranquense, que não conseguiram evitar a derrota nas deslocações aos sempre difíceis terrenos do Odivelas e do Malveira. Os homens de Vila Franca perderam por 1-0 e continuam a descer na tabela, situando-se agora na 12ª. posição com 19 pontos. O Vialonga está um pouco mais acima, na sétima posição, com 21 pontos, logo seguido pelo Alverca. O Vilafranquense não pode “adormecer”, uma vez que os lugares de descida estão apenas a 3 pontos de distância.
Na próxima jornada, o Vialonga recebe o líder Lourel, o Alverca visita o Malveira e o Vilafranquense recebe o União de Tires.
Já na I Divisão, o Povoense trouxe um bom empate da deslocação ao campo do MTBA e voltou ao segundo lugar da tabela, que lhe pode garantir a subida à Divisão de Honra. O Castanheira perdeu por 4-0 no terreno do Sobreirense e mantém um perigoso décimo-quarto lugar. Bem melhor continua o União e Recreio de Vila Nova da Rainha, que foi ao Sobral de Monte Agraço ganhar por 4-0.
Na Divisão Principal de Santarém a Arepa do Porto Alto voltou às vitórias, batendo o histórico União de Tomar por 3-1 e aproximando-se do Moçarriense para fugir ao último lugar. Para o Benavente foi jornada de descanso. Na Divisão Secundária, o Samora Correia  perdeu com o Salvaterrense por 2-1.

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

PS responsabiliza nova direcção do PSD pela ruptura na Câmara

A Concelhia de Vila Franca de Xira do PS responsabilizou, hoje, a estrutura congénere do PSD pela “ruptura” do acordo de gestão estabelecido na Câmara no início do mandato autárquico. Fernando Paulo Ferreira, presidente da Concelhia socialista, disse, em conferência de imprensa, que a atitude da Concelhia social-democrata mudou com a nova direcção do PSD local, que “procurava substituir-se aos seus vereadores no relacionamento com o executivo municipal”, e que o PS não podia aceitar isso.
A direcção local do PSD sustentou, na semana passada, que os vereadores do PSD nunca aceitariam “perder a sua autonomia” e garantiu que apresentaram os seus pontos de vista contra uma nova urbanização na Póvoa de Santa Iria, chegando a propor o adiamento da votação, mas que o PS nunca acolheu os seus argumentos.
O PS diz que o voto dos eleitos do PSD contra esta urbanização originou uma “quebra de confiança”, que uma gestão conjunta “exige sempre lealdade” e que obriga a que os interlocutores sejam os eleitos “não sendo possível aceitar qualquer ingerência externa”.
Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

sábado, 10 de dezembro de 2011

Bombeiros ameaçam parar




As corporações de Bombeiros do distrito de Lisboa decidiram, quarta-feira à noite, em Arruda dos Vinhos, mandatar a direcção 
da respectiva federação distrital para encetar, já a partir de Janeiro, um conjunto de “formas de luta” com o objectivo de reclamar alterações no domínio do transporte de doentes. O documento final aprovado na assembleia-geral da Federação de Bombeiros do Distrito de Lisboa (representa 57 corporações) aponta para uma concentração de ambulâncias de todo o distrito em frente da Assembleia da República e para uma “paralisação total” dos transportes de doentes se o Governo insistir em não promover uma revisão do sistema até final deste ano.
Segundo António Carvalho, presidente da FBDL e comandante dos Bombeiros da Póvoa de Santa Iria, a deliberação tomada realça a “situação dramática” que se vive no seio das associações humanitárias de bombeiros, que “as coloca à beira do abismo”, num quadro de dificuldades agravado pelos atrasos de pagamentos dos serviços de saúde e “pelas alterações abusivas que foram impostas no serviço de transporte de doentes, particularmente após a entrada em funcionamento do Sistema de Gestão de Transportes de Doentes (SGTD)”.
As associações de bombeiros da região alertam para a ameaça imediata de “despedimento de grande parte dos seus profissionais, colocando deste modo em perigo a prontidão e o socorro às populações".

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana  

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Clube Taurino entrega prémios no sábado


O Clube Taurino Vilafranquense organiza, no dia 10, o seu já tradicional jantar de entrega de prémios da temporada 2011 na Palha Blanco. A iniciativa realiza-se no restaurante “Aquarius” do Lezíria Parque Hotel e tem início previsto para as 20h15. Recorde-se que a direcção do CTV decidiu premiar o cavaleiro João Salgueiro (Melhor Lide a Cavalo) pela sua actuação frente ao segundo toiro da corrida de dia 4 de Outubro. O matador David Mora recebe o troféu para a Melhor Faena pela lide do quinto toiro da corrida de dia 2 de Outubro.
Serão, ainda, premiados a ganadaria de Carlos Falé Filipe, o forcado dos Amadores de Vila Franca Pedro Castelo e o bandarilheiro Rodolfo Barquinha.
Os responsáveis do Clube Taurino Vilafranquense entenderam, igualmente, reconhecer as exemplares carreiras do maestro Vítor Mendes (30 anos de alternativa) e do bandarilheiro  João José (trajectória de mais de 40 anos) e destacar o Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira pela “extraordinária actuação que tiveram nas duas corridas em que actuaram na Feira de Outubro” e José Manuel Raínho “por toda a dedicação e empenho em prol da Escola de Toureio José Falcão”.
Decidiram, ainda, atribuir o Troféu José Falcão do CTV a “dois aficionados exemplares”: Saavedra Valente “por toda uma vida em prol de Vila Franca, em especial defendendo a Festa dos Toiros” e o cineasta Francisco Rocha “pelo seu magnífico trabalho ao longo de todos estes anos e por ter realizado trabalhos que ficaram na história da cidade e da própria festa”.


Saiba mais nas edições de 7 e de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana

Excessos de alguns ciclistas preocupam no passeio ribeirinho



O comportamento e a velocidade por vezes excessiva de alguns ciclistas no caminho pedonal ribeirinho e na travessia do Jardim Municipal Constantino Palha de Vila Franca de Xira estão a gerar alguma preocupação. Os eleitos da CDU alertam para a velocidade excessiva de alguns e para a necessidade de encontrar formas de disciplinar a situação para evitar atropelamentos, sobretudo de crianças. A maioria PS reconhece o problema, considera que há desrespeito pela sinalização ali colocada e promete tomar mais algumas medidas.
Rui Pereira, vereador da CDU, lembra que “a sinalização que proíbe a circulação de bicicleta a pessoas com mais de 10 anos no Jardim Municipal desapareceu” e que “já passam ali alguns ciclistas a velocidade exagerada, no mesmo sítio onde passeiam crianças, que gostam de fugir aos pais e aos avós”. O autarca alertou para os riscos de acidentes e quis saber se está prevista alguma protecção reforçada no passeio ribeirinho, para limitar os perigos de queda para as zonas de lodo do rio.
Maria da Luz Rosinha explicou que o sinal de proibição da circulação de bicicleta para maiores de 10 anos foi retirado, porque há uma faixa situada junto à linha-férrea destinada à circulação dos ciclistas. “Temos ali uma ciclovia, a ideia é que as bicicletas circulem por ali. É uma questão de educação e de civismo”, sublinhou a presidente da Câmara, admitindo que também tem conhecimento e já se confrontou ela própria com casos de ciclistas que rodam no caminho ribeirinho a velocidades excessivas e não respeitam os sinais ali colocados que indicam que a faixa interior é para bicicletas e peões e a mais próxima do rio só para peões.

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana 

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Orçamento da Câmara de Vila Franca baixa 18 milhões em 2012



As propostas de Grandes Opções do Plano e de Orçamento do Município de Vila Franca de Xira para 2012 foram hoje aprovadas, com votos favoráveis de PS e PSD e contra da CDU. As quebras de receitas e de transferências da administração central levaram a maioria PS a apresentar uma proposta que baixa dos 87 milhões de euros orçamentados para 2011 para os 69 milhões em 2012.  Ainda assim, a presidente Maria da Luz Rosinha diz que será possível canalizar cerca de 25 milhões de euros para despesas de capital ligadas a investimentos.  
A reunião abriu com o vereador João de Carvalho (PSD) a ler uma carta que dirigiu a Maria da Luz Rosinha, renunciando aos pelouros da cultura e museus, depois da presidente ter decidido, no dia 30, retirar os pelouros atribuídos aos restantes dois vereadores sociais-democratas. 
No que diz respeito ao orçamento, a presidente da autarquia salientou que as propostas estão “fortemente afectadas pelas medidas que o Governo tem vindo a adoptar” e explicou que se prevê para 2012 uma quebra de 1, 2 milhões de euros nas transferências da administração central, de 1 milhão de euros nas receitas da derrama e de 3, 9 milhões nas receitas do Imposto Municipal de Transacções. Mesmo assim, prevê que seja possível iniciar as obras de requalificação da margem ribeirinha da zona sul do Município, avançar com a regularização do Rio Grande da Pipa e com as novas instalações do Centro de Saúde de Alhandra. Realçou, ainda, os 4, 7 milhões de euros destinados à melhoria da rede viária municipal.
A CDU considerou “impressionante” esta redução orçamental e o vereador Nuno Libório sustentou que, neste contexto, a autarquia se deveria concentrar nas suas competências específicas e não andar a gastar meios em obras que a coligação liderada pelo PCP entende que são da responsabilidade do Estado ou de empresas privadas. Estão nessa situação, no entender da CDU, os acessos ao novo hospital e a ligação do novo nó de acesso à A 1 à plataforma logística da Castanheira, vias onde, segundo Nuno Libório, a Câmara vai gastar mais de 6 milhões de euros.  

Saiba mais na edição de 21 de Dezembro do Voz Ribatejana  

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Já está nas bancas a nova edição do Voz Ribatejana

PSD rejeita pelouros e acusa Rosinha de tentar aliciar João de Carvalho



A Concelhia de Vila Franca de Xira do PSD anunciou, esta manhã, em conferência de imprensa, que o seu vereador João de Carvalho vai comunicar na reunião camarária de amanhã que renuncia aos pelouros que dirigia, o que, na prática, significa o rompimento total do entendimento que permitiu que, durante 2 anos, socialistas e sociais-democratas partilhassem responsabilidades na gestão da autarquia. Na semana passada, a presidente Maria da Luz Rosinha já anunciara que retirava os pelouros aos restantes dois vereadores do PSD (Rui Rei e Helena de Jesus), mas manteve as responsabilidades atribuídas a João de Carvalho (cultura e museus).
Depois de reunir com os órgãos locais do PSD, João de Carvalho decidiu entregar os pelouros, o que significa que o executivo vai ficar apenas com maioria relativa, com cinco eleitos do PS num total de 11. Mas o PSD promete, também amanhã, votar a favor das propostas de plano e orçamento para 2012, tendo em conta que participou na sua elaboração. E considera que não há razões para suspender os acordos feitos nas três maiores freguesias (Alverca, Vila Franca e Póvoa de Santa Iria), em que o PS compõe as juntas e o PSD lidera as mesas das assembleias.  


Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Decisões adiadas na TNC



A assembleia de credores da TNC de Alverca, reunida esta manhã no Tribunal do Comércio de Lisboa, ainda não foi conclusiva. Um dos principais credores requereu que o seu voto seja entregue por escrito num prazo de dez dias. Só depois da sua recepção é que a juíza poderá fazer a contabilidade total dos votos e determinar se o plano de viabilização é ou não aprovado. 
“Pensamos que o voto deste credor é muito importante mas não sabemos se é fundamental, pois não temos a percepção, neste momento, do número de votos. Para a aprovação do plano de viabilização precisamos de dois terços dos votos favoráveis”, esclareceu Fernando Fidalgo, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal, revelando que os créditos dos trabalhadores, estimados em 7, 5 milhões de euros, “foram todos reconhecidos”.
Na assembleia participaram cerca de 50 dos 126 trabalhadores da TNC, que mostraram esperança na recuperação da empresa e dos postos de trabalho. 

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana

domingo, 4 de dezembro de 2011

TNC tem assembleia decisiva na segunda-feira


A assembleia de credores agendada para esta segunda-feira no Tribunal do Comércio de Lisboa poderá ser decisiva para o futuro da Transportadora Nacional de Camionagem (TNC) e dos 126 trabalhadores desta empresa de Alverca. A juíza responsável pelo processo aceitou, no final de Outubro, suspender a decisão de liquidação da empresa de Alverca tomada em Junho e marcar uma assembleia para apreciar uma nova proposta de viabilização apresentada pela antiga dona da firma, Luzia Leal.
O Voz Ribatejana sabe que a proposta exige uma disponibilidade de 2, 5 milhões de euros para reduzir dívidas e relançar a actividade da TNC, que acumulou um passivo da ordem dos 8 milhões de euros. Contempla também um ajustamento dos quadros às encomendas, mas a prolongada paragem da actividade da empresa começa a suscitar dúvidas. O Ministério da Economia e os principais bancos credores chegaram a afirmar o seu apoio à proposta de recuperação. 
“Vamos concentrar energias na assembleia de credores de dia 5, para fazer sentir que os trabalhadores estão unidos, têm direitos e merecem acreditar que a justiça será imparcial e que a TNC ainda tem um caminho”, disse Anabela Carvalheira, dirigente do Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal.

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana 

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Alenquer aposta forte na tradição da "Vila Presépio"


O Município de Alenquer reforça, este ano, a aposta na promoção da imagem da sede de concelho como “Vila Presépio de Portugal”. Para tal estão previstas várias acções, com realce para o invulgar presépio monumental instalado desde ontem na encosta da vila. Mas ao longo de todo o mês haverá também feira de produtos regionais, provas de vinhos, exposição de presépios, concertos e música coral.
Já amanhã, sábado, será inaugurada uma Feira de Produtos Regionais (espumantes, vinhos, licores, mel, doces, bolos) que estará patente no Fórum Romeira até 29 de Dezembro.  Aos sábados, os visitantes poderão provar todos os produtos à venda e participar em provas de vinhos. Uma feira que funcionará nos dias úteis das 9h00 às 17h00 e aos sábados das 10hoo às 18h00, encerrando aos domingos e feriados.
Também no sábado abre, no Museu do Vinho (antigo celeiro real), uma exposição de trabalhos em madeira e cortiça do artesão Fernando Protásio. Neste espaço da zona antiga da vila haverá provas de vinhos nos dias 3, 10 e 17. Já na Biblioteca Municipal, na Rua Triana, está patente, até 6 de Janeiro, uma Exposição de Presépios de Alenquer. No domingo, o Museu João Mário acolhe um concerto de Natal com o Grupo Coral da Caixa Geral de Depósitos.


Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Rosinha retira pelouros a dois vereadores do PSD


Maria da Luz Rosinha anunciou, quarta-feira à noite, no final da reunião camarária realizada no Forte da Casa, que retira os pelouros atribuídos a dois dos três vereadores do PSD, devido à atitude que tomaram contra uma proposta de alteração de um loteamento urbano da Póvoa de Santa Iria. A presidente da Câmara de Vila Franca e a maioria PS entendem que esta posição dos sociais-democratas vem fora de tempo. Os eleitos do PSD sublinham que já tinham expressado estas reservas em Outubro.
A proposta foi aprovada com 8 votos favoráveis de PS e CDU, mas os três vereadores do PSD votaram contra. Um deles,  João de Carvalho, lamentou, contudo, a “intransigência de parte a parte” e alguma falta de diálogo e explicou que também votara contra “por uma questão de disciplina” e sob “protesto”. Maria da Luz Rosinha disse, ao Voz Ribatejana, que, nessas condições, decidiu retirar os pelouros aos vereadores Rui Rei (obras municipais) e Helena Pereira de Jesus (actividades económicas) e manter a atribuição do pelouro da cultura a João de Carvalho.
Esta situação abre, contudo, um cenário complicado na Câmara de Vila Franca de Xira, onde o PS tem uma maioria relativa (5 eleitos em 11) e fez um entendimento de governação com os sociais-democratas. Não se sabe, agora, se João de Carvalho quererá manter funções executivas e é pouco provável que o PSD aceite a permanência de um vereador nessa situação e de outros dois sem pelouros. Se o PSD “romper” com o PS, os socialistas terão que governar com maioria relativa, problema complicado em vésperas da votação do plano e orçamento para 2012.

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana  

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

PJ investiga antigo responsável do urbanismo



Uma equipa de inspectores da Polícia Judiciária efectuou, ontem, uma demorada busca ao gabinete do director dos serviços de urbanismo da Câmara de Santarém. A presença dos investigadores foi confirmada pelo vereador do urbanismo, João Leite, que garantiu, contudo, que em causa está “uma investigação especificamente relacionada com a actividade do arquitecto António Duarte” que não terá relação directa com o Município de Santarém. Segundo o autarca, em causa poderão estar questões relacionadas com actividades anteriores do arquitecto em Vila Franca de Xira e em Cascais.
O arquitecto, natural do Norte do País, dirigiu o departamento de urbanismo da Câmara de Vila Franca de Xira em 2005 e 2006, abriu, depois, um gabinete de arquitectura em Cascais e iniciou, em 2007, uma colaboração como consultor na Câmara de Santarém. Já em 2009 assumiu a direcção do departamento de urbanismo do Município de Santarém.
A SIC diz que as investigações estarão relacionadas com uma suspeita de favorecimento de um gabinete de arquitectura de uma filha de António Duarte e que a PJ também terá realizado buscas nas residências de pai e filha e no gabinete desta. Ao Voz Ribatejana, a Câmara de Vila Franca de Xira sustentou que não teve nenhuma busca ou contacto da PJ relacionados com estas situações.

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Detido em Vila Franca com ambulância roubada


Um homem de 34 anos foi detido, na sexta-feira, na zona de Vila Franca de Xira, quando conduzia uma ambulância furtada horas antes em Lisboa. O suspeito foi interceptado por agentes da Divisão Policial de Vila Franca, quando seguia na Nacional 10, junto ao acesso sul à Auto-estrada do Norte.
O caso tem origem nos Olivais, em Lisboa, quando, cerca das 10h00 da manhã, uma equipa de bombeiros foi chamada a prestar assistência a uma mulher residente na Rua Jangada de Pedra. Para manter os sistemas de assistência instalados nesta ambulância do INEM a funcionar, é normal os tripilantes deixarem a viatura a trabalhar para não ficarem sem bateria. Só que, desta vez, o socorro foi algo demorado (cerca de 50 minutos) e quando voltaram para a ambulância perceberam que já não se encontrava no local onde a tinham estacionado.
Alertada a PSP, a informação do furto foi divulgada por toda a reegião e o veículo rapidamente detectado junto a Vila Franca. De acordo com o comando metropolitano da polícia, a ambulância foi perseguida por doia carros patrulha, que lhe barraram a entrada na A1. O suspeito ainda terá tentado galgar o lancil de cimento de modo a colocar-se em fuga mas foi bloqueado. No interior da ambulância foi encontrado um saco com duas chapas de matrícula espanholas, suspeitando as autoridades que o mesmo pretenderia utilizá-las em Espanha.


Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana

sábado, 26 de novembro de 2011

Bienal de artes plásticas abre hoje em Vila Franca


A I Bienal de Artes Plásticas de Vila Franca de Xira abre, esta tarde, no Celeiro da Patriarcal. Até 8 de Janeiro vão estar patentes trabalhos de pintura, desenho, aguarela e fotografia de 45 artistas plásticos da região. Uma iniciativa organizada pelo Município vila-franquense com o apoio do GART (Grupo de Artistas Amigos da Arte). 
A edilidade de Vila Franca diz que se orgulha de “tudo fazer para ajudar a desenvolver condições de promoção da arte no concelho” e que esta “primeira grande iniciativa de divulgação do trabalho artístico da região” apresenta um conjunto de obras que “revela uma dinâmica criativa que é justo assinalar condignamente, demonstrando assim a vitalidade do sector criativo vila-franquense”.
A mostra tem entrada livre e pode ser visitada de terça a sexta-feira, das 14h00 às 19h00 e de sábado a domingo, das 15h00 às 19h00. Encerra às segundas-feiras, feriados e nos dias 24 e 31 de Dezembro.


Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana



quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Sindicato aponta para adesão de 80% no Município de Vila Franca



O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) aponta para uma adesão da ordem dos 80 % à greve geral de hoje por parte dos cerca de 1000 funcionários do Município de Vila Franca de Xira. Na região, na Câmara de Alenquer a adesão ter-se-á situado entre os 70 a 75%, segundo a mesma fonte, e no Município de Sobral de Monte Agraço atingiu os 90%.
João Paulo Vieira, membro da direcção regional de Lisboa do STAL, disse, ao Voz Ribatejana, que estes dados traduzem o “descontentamento generalizado” das pessoas relativamente às políticas que estão a ser seguidas pelo Governo. No caso de Vila Franca, a adesão nos serviços de higiene e limpeza, durante a noite, foi de 100% e no decorrer do dia a participação dos trabalhadores municipais reflectiu-se também no fecho dos mercados de Alhandra e de Vila Franca e da Biblioteca de Vila Franca.
Entre as juntas de freguesia do concelho, o STAL regista que encerraram, devido à greve, as juntas de Alverca, Castanheira, São João dos Montes e Vialonga.

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana               

Sindicatos de Santarém criticam actuação da GNR


O coordenador da União de Sindicatos do Distrito de Santarém (USDS) criticou, esta manhã, em Benavente, a forma como a GNR se apresentou junto a vários piquetes de greve que funcionaram em instalações das transportadoras Rodoviária do Tejo e Ribatejana, afirmando que foi “uma clara tentativa de intimidar os piquetes e tentar desestabilizar a greve”. Segundo Rui Aldeano, a adesão nestas duas empresas de transportes foi superior a 80% e o situações deste tipo ocorreram pelo menos nas localidades de Coruche, Salvaterra e Glória do Ribatejo.  
O mesmo responsável criticou também a forma como a GNR abriu as portas da sede da empresa intermunicipal Águas do Ribatejo, que se encontravam “trancadas”, ao que tudo indica por iniciativa de apoiantes da paralisação.
De resto, Rui Aldeano faz um balanço “muito positivo” da greve geral no distrito ribatejano, afirmando que muitas áreas de produção pararam, com saliência para grandes unidades industriais como as da Mitsubishi (Tramagal), da Fundição de Abrantes e da Bosch. Segundo o dirigente da USDS, afecta à CGTP, também as câmaras de Alpiarça, Benavente e Chamusca estiveram encerradas e em Coruche a adesão terá rondado os 90%. A USDS organiza, hoje, concentrações em Benavente, Santarém e Torres Novas. na primeira estiveram também em foco as preocupações relativamente aos serviços de saúde

Saiba mais na edição de 7 de Dezembro do Voz Ribatejana  

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Já está nas bancas mais uma edição do Voz Ribatejana

Alverca ganha no Cacém e Vialonga embala para o segundo lugar


Depois da derrota caseira com o Vialonga e da rescisão com o treinador Ricardo Monsanto, o Futebol Clube de Alverca deu um pontapé na “crise” e ganhou, no domingo, no terreno do Atlético do Cacém, equipa que seguia na segunda posição. Bem esteve igualmente o Grupo Desportivo de Vialonga (GDV) que bateu, nesta 11ª. jornada, o Ponterrolense (2-1) e soma 20 pontos, a apenas 1 ponto do líder, que voltou a ser o Lourel.
Já o Vilafranquense, depois da surpresa da derrota na Encarnação, empatou, agora, em casa, frente ao vizinho e rival Loures. A UDV mantém a quinta posição, agora com 18 pontos. O Alverca soma 15 e, no Cacém, entrou a perder logo aos 7 minutos, mas soube dar a volta ao resultado ainda na primeira parte. Fábio Santos fez o empate aos 25 minutos e, a cinco do intervalo, foi Ferra a alcançar o 2-1 na marcação de uma grande penalidade.
No próximo domingo, o Vialonga tem deslocação difícil à Lourinhã, o Vilafranquense visita o novo lanterna-vermelha que é o Tojal e o Alverca recebe o Linda-a-Velha.
Na I Distrital de Lisboa, o União Atlético Povoense somou, no domingo, nova vitória, desta vez por 2-0 e frente ao Monte Agraço. Pior está o Juventude da Castanheira que, no domingo, perdeu de forma natural no terreno do Santa Iria, mas que se mantém na penúltima posição.

Saiba mais na edição de 23 de Novembro do Voz Ribatejana

sábado, 19 de novembro de 2011

Vialonga exige obras na escola


Várias centenas de pais e alunos da Escola Básica dos 2º. e 3º. Ciclos (EB 2.3) de Vialonga participaram, na manhã deste sábado, numa concentração, seguida de desfile pelas ruas da vila, exigindo obras imediatas no estabelecimento, que tem o dobro dos alunos previstos e sérios problemas de infiltrações e inundações em diversas salas. Desde 2009 que a EB 2.3 estava na calha para beneficiar de obras de requalificação e ampliação feitas pela Parque Escolar, mas o processo atrasou-se devido a problemas com terrenos e a recente decisão do Governo de suspender todas as novas emreitadas desta empresa pública veio deixar a escola com sérios problemas.
Por isso, no final, foi aprovada uma moção que exige obras e convida o ministro Nuno Crato a visitar a EB 2.3 de Vialonga para verificar in loco as más condições oferecidas aos cerca de 1200 alunos inscritos numa escola construída há 24 anos para 600 a 700 estudantes. “Não tenha medo senhor ministro. Será recebido de forma muito mais digna do que as condições que os nossos jovens têm para estudar”, sustentou José Luís Vieira, presidente da Associação de Pais e Encarregados de Educação da EB 2.3 de Vialonga, frisando que a escola “está a rebentar pelas costuras, chove dentro das salas e do refeitório e não se pode ligar o aquecimento porque os quadros disparam. É preciso pôr fim a tanta indignidade”, acrescentou, lamentando que outras escolas do concelho de Vila Franca que tinham melhores condições já tenham obras quase concluídas e que Vialonga não saiba quando é que avançam as suas.
O protesto, decidido em reunião de pais realizada no dia 8, juntou cerca de 400 participantes, que desfilaram, depois, pelas ruas, gritando palavras de ordem como “queremos uma escola nova”.

Saiba mais na edição de 23 de Novembro do Voz Ribatejana

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Edição Completa do Voz Ribatejana 9 Nov 2011

Bibliotecas de Azambuja encerram ao Fim de Semana

As medidas de austeridade impostas pelo governo estão na base do encerramento das bibliotecas do concelho de Azambuja aos fins de semana e feriados, já a partir do próximo dia 1 de Dezembro.
Segundo um comunicado do municipio,  em causa estão cinco funcionárias que terminam os seus contratos em Dezembro.
Com a nova legislação, as autarquias não podem renovar os contratos de trabalho nem contratar pessoas em regime de avença. Por outro lado, o documento do município de Azambuja destaca que o processo de recrutamento será forçosamente moroso, e por isso no imediato, a câmara avisa que irá proceder á alteração dos horários de funcionamento até encontrar outras soluções.
Em causa estão as bibliotecas de Azambuja, Aveiras de Cima e Alcoentre

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Roubaram os 8 motores da Jangada Cultural de Vila Franca


 
Os oito motores que equipavam a “Jangada Cultural” do Município de Vila Franca de Xira foram roubados, ao que tudo indica durante o passado fim-de-semana. O furto foi detectado já na segunda-feira e o caso está a ser investigado pela PSP vila-franquense. Os equipamentos roubados estão avaliados em mais de 50 mil euros.
Trata-se de uma estrutura composta por quatro módulos flutuantes (cada um dotado de dois motores), que podem ser interligados entre si. Cria-se, assim, uma plataforma que a Câmara de Vila Franca de Xira pretende utilizar para a realização de concertos musicais e outras actividades culturais em diversos pontos da sua frente ribeirinha.
A Jangada Cultural envolveu um investimento próximo dos 150 mil euros (comparticipado pelo Polis XXI- Parcerias para a Regeneração Urbana) e foi inaugurada, no início do passado mês de Julho, por alturas das festas do Colete Encarnado.

Saiba mais na edição de 23 de Novembro do Voz Ribatejana

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Bombeiros de Alverca celebram 85 anos


Os Bombeiros Voluntários de Alverca (BVA) completam hoje 85 anos de existência. Em época de dificuldades, o programa comemorativo é algo contido, mas ainda assim a corporação alverquense quis principalmente afirmar a sua ligação à comunidade que serve e organizou, no dia 5, uma jornada de contacto com a população que reuniu efectivos e equipamentos junto à feira semanal de Alverca.
O ponto alto das comemorações está, contudo, marcado para a manhã de dia 20, com um conjunto de actividades no quartel da corporação alverquense, que inclui uma sessão solene e almoço comemorativo. No dia 5 foram muitos os que quiseram conhecer melhor a actividade dos BVA e os mais novos mostravam-se particularmente interessados em ver o interior do carro de combate a incêndios ou da ambulância. A corporação instalou painéis sobre a sua actividade operativa e sobre a Brigada 1130 (jovens bombeiros em fase de formação), mas também uma banca para distribuição de informação e para fazer novos associados e vários equipamentos das diversas facetas de intervenção da associação.
“No âmbito das comemorações do 85º. aniversário decidimos fazer esta amostragem à população dos nossos equipamentos e de alguns contactos. Aproveitamos para divulgar junto dos jovens a possibilidade de poderem virem a fazer parte da nossa corporação de bombeiros e de algumas pessoas que não são sócias poderem vir a inscrever-se”, explicou, ao Voz Ribatejana, Rui Ferreira, vice-presidente da direcção dos BVA, frisando que outro objectivo desta acção que trouxe o quartel para a rua foi mostrar à população a importância destes meios de socorro.

Saiba mais nas edições de 9 de Novembro e de 23 de Novembro do Voz Ribatejana